capa-prometoqueeaultimavezComecei a ler o “Prometo…” a seguir à apresentação, ainda na Livraria Chiado. Já cheguei a meio (tinha outras leituras, também a meio) mas ainda não parei. Esperava um “thriller”. Não é. Embora se leia como um “thriller”. É uma meditação filosófico-teológico-psicológico-jurídica (ainda que breve). Reflete perplexidades em que todos nos revemos, deixando uma bem construída (e adequada) teia de mistério. Muito bem apreendidas na verdadeira “oração de sapiência” com que a Professora Doutora Teresa Pizarro Beleza (a quem tanto se devem algumas das mais importantes inovações do nosso ordenamento jurídico nas últimas décadas) nos brindou, nesta memorável ocasião.” – José Vaz

– “Há dias lemos “Prometo que é a última vez” de Ana Brilha, não tínhamos expectativas em particular, só queríamos uma boa leitura. O nosso desejo realizou-se. É um livro que se lê bem, sem grandes filosofias, simples e com uma história virada para o crime. (…) Muito fácil de ler, acabamos por não largar.” – 02.09.2015, Livros de Vidro

Anúncios